Como funciona a Economia

08/07/2020 11:18

Olá! Eu sou Vinicius Teixeira, profissional do mercado financeiro há 12 anos.
Em 2020, assumi o compromisso de levar educação financeira ao maior número de pessoas possível!
Quer saber mais sobre como funciona a economia?
Então, aperta o play!

E aí? Gostou?
Se você quer aprender mais e, também, cuidar melhor do seu dinheiro, clique aqui para me seguir no instagram! Ou, então, se inscreva no meu canal no youtube, onde eu publico, diariamente, diversos conteúdos para alavancar seus resultados.
Ah! Você também pode se cadastrar para uma conversa exclusiva com um especialista, através do nosso site

A importância do Assessor

24/06/2020 11:04

Você já aprendeu a economizar, o porquê economizar, e sabe como e por que montar a sua reserva de emergências. Imagino que você deva estar empolgado com o assunto, pesquisando vídeos e textos pela internet para começar a investir e iniciar logo a sua jornada pela independência financeira.

Mas, antes de tudo, você sabe a importância do Assessor de Investimentos?

Nós, assessores de investimentos, podemos te ajudar a montar uma carteira de investimentos personalizada para o seu perfil e momento de vida, sempre de forma imparcial e de olho exclusivamente nos seus interesses. Seu assessor estará sempre próximo de você e dos seus investimentos, acompanhando seu portfólio de investimentos, tirando suas dúvidas, apontando os riscos das operações. Você não necessita enfrentar filas, ou retirar fichas para ser atendido, basta marcar um horário e aproveitar um cafezinho durante a reunião.

Um agente autônomo de investimentos (AAI), como também somos conhecidos, é especializado em investimentos. Ele conhece o mercado financeiro como ninguém e sabe quando uma oportunidade pode fazer a diferença na rentabilidade da sua carteira e até para o futuro da sua vida financeira. Na hora de planejar o futuro, e decidir onde investir, é melhor contar com a ajuda de um profissional especializado. Por isso, a longo prazo, um assessor de investimentos oferece soluções para você ficar tranquilo não só hoje, mas também no futuro.

Meu nome é Gustavo Contini, sou Sócio e Assessor da GX Investimentos e se você quiser saber mais sobre Inteligência Financeira e Investimentos é só clicar aqui que eu vou ficar muito feliz em conversar contigo.

 

Uma reserva para emergências

22/06/2020 10:59

Sabe quando acontece algo inesperado e que você precisa desembolsar algum valor? Seja um acidente de carro, seja uma necessidade médica, ajudar financeiramente algum amigo ou familiar, ou simplesmente ficar trancado em casa por meses durante uma quarentena? Então, essas são emergências que exigem que nós tenhamos algum tipo de planejamento financeiro, para que não fiquemos em maus lençóis. 

Imprevistos são previsíveis. Nós não sabemos quando, mas sabemos que uma hora vai acontecer algo que nós vamos precisar ter algum valor guardado. Este é o motivo de ter uma Reserva de Emergência, e ela deve ser seu primeiro investimento. Quanto antes você a tiver pronta, antes você poderá começar outros investimentos, e mais tranquilo você estará quando houver uma emergência.

A Reserva de Emergência pode ser calculada da seguinte forma: (a) Se você for funcionário de uma empresa, sua reserva deve equivaler à pelo menos uns 9 meses de salário, isso pois você tem o risco de ser demitido ou haver uma redução no seu salário; (b) Se você for um funcionário público, devido à maior ‘estabilidade’ de seu emprego, você pode utilizar um valor próximo à 6 salários; (c) Já um profissional autônomo, que não tem um salário regular, o ideal seria acumular o equivalente a pelo menos 9 ou 12 meses do seu custo de vida mensal.

É importante ressaltar que este investimento deve ser utilizado apenas para Emergências, e não para aproveitar uma oportunidade de investimento, para este caso temos o Caixa para Oportunidades. E por último, mas não menos importante, é que a Reserva deve ser uma aplicação com Alta Liquidez, e Segurança, e não necessariamente uma alta rentabilidade, porém, não podemos deixar em uma aplicação que perca para a Inflação.

Meu nome é Gustavo Contini, sou Sócio e Assessor da GX Investimentos e se você quiser saber mais sobre Inteligência Financeira e Investimentos é só clicar aqui que eu vou ficar muito feliz em conversar contigo.

A taxa básica de juros da economia

19/06/2020 11:05

No post de hoje, vamos falar sobre a Selic, que é taxa básica de juros da economia brasileira. A Selic é, também, um instrumento de política monetária, responsável basicamente por influenciar todas as demais taxas de juros dentro do Brasil - desde as taxas cobradas em empréstimos, financiamentos e até os retornos em aplicações financeiras.

Em linhas gerais, pode se dizer que a taxa de juros reais é a taxa mínima aplicada para o dinheiro não perder para inflação em um dado período. E, também, é a taxa usada nas operações de menor risco da economia. Risco esse que acaba sendo, efetivamente, assumido pelo governo, pois seus títulos servem de lastro para a operação. Dessa forma, a Selic acaba servindo de referência básica para todas as demais taxas de juros da economia.

Nesse texto iremos abordar as seguintes questões:

  • Significado;
  • Responsabilidade;
  • Funcionamento;
  • Como é calculada;
  • Importância;
  • Impacto nos seus investimentos.

O que significa Selic?

Selic é a sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Basicamente, é um programa em que os títulos do Tesouro Nacional são comprando e vendidos diariamente por instituições financeiras. A taxa Selic, portanto, está ligada aos juros dos títulos públicos que o governo oferece nesse programa.

Quem é o responsável?

Quando falamos sobre políticas econômicas, acamos nos remetendo a quem são os responsáveis por dirigir a economia, no caso da Selic, o responsável é o Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central (BC). Esse Comitê se reúne a cada 45 dias para definir se a taxa Selic deve ser mantida estável, aumentada ou cortada.

Como ela funciona?

Sabemos que o principal forma de pagamento de dívidas do governo é por meio da arrecadação de impostos. Porém, outra forma de arrecadação são os empréstimos – como por meio dos títulos do Tesouro Nacional. Você deve estar se perguntando, mas como assim?

O governo utiliza a Selic para sinalizar ao mercado o quanto de juros irá pagar em suas dívidas. Ou seja, quem compra um título, ganha o direito de receber o valor de volta com um prêmio (juros), em uma determinada data.

Taxa Selic Over

Essa é taxa de juros praticada quando uma instituição financeira empresta dinheiro para outra e usa, como uma forma de garantia, os títulos públicos adquiridos.

Taxa Selic Meta

Quando nos referimos a Taxa Selic Meta, essa é a que você está acostumado a ouvir normalmente. Ou seja, a taxa básica da economia brasileira que serve como parâmetro para outras taxas praticadas no mercado.

Destaca-se que este texto se refere a taxa Selic Meta.

Como a Taxa Selic é calculada?

Como já dito anteriormente, a taxa Selic é definida pelo Copom (Comitê de Política Monetária) a cada 45 dias, por meio de uma reunião. Para a definição da taxa são levados em consideração inúmeros indicadores financeiros do país. E assim chegar em um consenso se haverá um corte, um aumento ou se a mesma se manterá sem alterações.

Mas por que ocorrem essas mudanças? Bem, essas mudanças ocorrem porque a economia não é estável. Por isso, é necessário adequá-la ao cenário, para que exista um equilíbrio econômico, fazendo com que o dinheiro continue circulando.

Por que essa Taxa é importante?

A taxa Selic foi criada em um período conturbado da economia brasileira. Naquela época o contexto era de hiperinflação. Tão logo, ela tem como objetivo ser ferramenta de controle da inflação, já que qualquer mudança que o Banco Central do Brasil fizer na taxa resultará em uma alta ou queda da inflação. Além disso, é importante saber que a Selic, é utilizada como ferramenta para estimular ou desacelerar a economia.

Portanto, até hoje, a Selic serve como referência para economia brasileira. É uma importante ferramenta para controle da inflação no país que poder ser entendida como um indicador da nossa situação econômica.

O X da questão, como a Selic afeta seu dinheiro e seus investimentos?

Essa parte é importante, pois a Selic impacta diretamente no nosso bolso, para o bem e para o mal. As variações afetam diretamente a remuneração de vários investimentos. Bem, basicamente os efeitos da mudança da Selic são sentidos de maneira bem ampla, desde os bancos, pessoas físicas até estrangeiros.

Quando a Taxa Selic diminui: O crédito fica mais acessível, já que bancos tendem a baixar as taxas de juros. Consequentemente, vai remunerar menos os credores. Nesse cenário, a inflação tende a subir.

Quando a Taxa Selic aumenta: Os preços tendem a baixar ou ficar estáveis, como uma consequência do controle da inflação. Os juros de crédito e cheque especial ficam mais altos.

 Os investimentos

A taxa Selic exerce uma forte influência nas demais taxas de remuneração de outros investimentos. Portanto, qualquer mudança na Selic impacta a rentabilidade de produtos financeiros como, por exemplo, Títulos do Tesouro Direto (Tesouro Selic), Caderneta de poupança, e Investimentos de Renda Fixa

Tesouro Selic:

O Tesouro Selic é um título público que tem rentabilidade indexada (atrelada) à taxa Selic, logo quando esse diminui, a rentabilidade do título também diminui. O mesmo vale para a situação ao contrário, um aumento na taxa Selic torna os títulos públicos mais vantajosos.

Poupança:

Se tu tens dinheiro na poupança, o nosso conselho é que retires esse dinheiro. A poupança sofre com os efeitos da Selic porque o rendimento dela segue uma regra básica:

  • Se a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, a poupança rende 0,5% sobre o valor depositado + Taxa Referencial.
  • Se a Selic estiver igual ou abaixo de 8,5% ao ano, a poupança rende 70% da Selic + Taxa Referencial.

Ou seja, com uma taxa Selic abaixo de 8,5%, a rentabiliade pode cair muito. 

Investimentos em Renda Fixa:

As mudanças provocadas na taxa Selic impactam o CDI, que é um indice de rentabilidade utilizado pelos investimentos de Renda Fixa. Ou seja, se a Taxa Selic cai, o CDI também fica menos rentável.

Entre os investimentos que utilizam o CDI como indicador de rentabilidade, CDBs, LCIs, LCAs LCs são os mais comuns. Por utilizarem o CDI como indicador, esses investimentos terão suas remunerações afetadas com a variação da Taxa Selic.

Texto: Gabriel Freitas

 

Gostou desse conteúdo? Nos de o seu feedback, ele é importante! Nossa missão é dar as pessoas ferramentas para o controle da vida financeira.

Ainda não conhece a GX investimentos? Saiba mais sobre nós clicando aqui

 

 

Arquivo

Outros Blogs

Voltar Topo