Estado

Saúde

Sociedade Gaúcha de Pediatria apoia vacinação contra a gripe em crianças

Por Assessoria , 19/04/2019, 11h17

A Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul é parceira da Secretaria da Saúde na campanha de vacinação contra a gripe. A médica Cristina Targa Ferreira, presidente da entidade, afirma que pais e responsáveis devem levar as crianças para a imunização.

A campanha tem como um dos públicos prioritários quem tem mais de seis meses e menos de seis anos, que no RS totaliza 735 mil crianças. Mais de 85 mil delas já foram vacinadas até o dia 17 de abril. A campanha, que começou em 10 de abril, segue até 31 de maio. A meta é alcançar 90% do público.

A médica ressalta que, nas crianças, a vacinação é particularmente importante porque elas têm por hábito manter muito contato entre elas, nas creches ou escolas, e isso faz com que transmitam mais facilmente as doenças, em especial as infeções virais, como a gripe.

“Além disso, no inverno, com as temperaturas mais baixas, esses ambientes costumam ficar fechados, trazendo mais risco em virtude da falta de circulação de ar, o que concentra mais os vírus”, comentou Cristina.

A presidente da entidade lembra ainda que as crianças menores de seis meses não são vacinadas contra a gripe. Apesar disso, algumas medidas ajudam a proteger esse público da doença. “A melhor forma de prevenir doenças no bebê é o aleitamento materno, que dá os anticorpos que a mãe já tem para a criança”, acrescenta.

A Organização Mundial de Saúde aconselha o aleitamento materno exclusivo até os seis meses e seguir até os 2 anos de idade da criança. Outra forma de proteger os recém-nascidos é a vacinação das puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), que também são um dos públicos prioritários da campanha.

Atualização da caderneta

Durante a campanha, as crianças poderão atualizar as demais vacinas previstas no calendário básico. Por isso, é importante levar a caderneta de vacinação para que um profissional na Unidade Básica de Saúde avalie a situação. Não há contraindicação em se fazer mais de uma vacina como a da gripe nas crianças e nas gestantes. São 12 vacinas previstas no calendário infantil.

A presidente da sociedade de pediatria reforça que não há contraindicação em fazer outra vacina com a da gripe. “É o habitual para as crianças nessas idades fazerem mais de uma vacina ao mesmo tempo, situação será avaliada no momento da vacinação pelo profissional de saúde”, afirma.

Ampliação na faixa etária

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe teve na edição deste ano uma ampliação na faixa etária das crianças elegíveis para a imunização. Neste ano, foi incluída a parcela das crianças menores de seis anos (cinco anos, 11 meses e 29 dias).

Até o ano passado, eram vacinadas as menores de cinco anos somente. No Rio Grande do Sul, a medida representou aumento em 136 mil crianças a mais do que em relação a 2018.

No ano passado, esse grupo foi o de menor procura no Estado, com cobertura de apenas 67%. Por isso as crianças, ao lado das gestantes, foram priorizadas na campanha deste ano. A vacinação começou para esses dois grupos no dia 10 de abri.

No dia 22 de abril se somam à campanha os demais públicos elegíveis, como pessoas acima dos 60 anos, trabalhadores da saúde, puérperas, doentes crônicos e professores.

Foto: Divulgação/Erasmo Salomão/Ministério da Saúde

Voltar Topo